Quantcast

Eficiência Energética em Edifícios de Serviços

Eficiência Energética em Edifícios de Serviços

Pedir Informação

Programa
PRR
Empresas Beneficiárias
Proprietários de Edificios de Serviços
Setores
Serviços
Localização
Continente
Prevê Exportações
Não
Tipo de Financiamento
Fundo Perdido
Financiamento Não Reembolsável
Até 70%
Despesas Elegíveis
  • Substituição de vãos envidraçados (janelas e portas) não eficientes por eficientes;
  • Intervenções para incorporação de soluções de arquitetura bioclimática, que envolvam a instalação ou adaptação de elementos fixos do edifício, designadamente sombreamentos, estufas e coberturas ou fachadas verdes, privilegiando soluções de base natural;
  • Aplicação ou substituição de isolamento térmico em coberturas, paredes ou pavimentos, bem como a substituição de portas de entrada;
  • Sistemas que promovam a ventilação natural do ar interior e/ou a iluminação natural;
  • Intervenções nos sistemas técnicos para assegurar a melhoria do desempenho energético das instalações (edifícios);
  • Sistemas de aquecimento e/ou arrefecimento ambiente e/ou de águas quentes (AQ) que recorram a energia renovável;
  • Sistemas de produção de energia elétrica para autoconsumo, através de fontes renováveis com e sem armazenamento de energia;
  • Intervenções que visem a eficiência hídrica por via da substituição de dispositivos de uso de água no edifício por outros mais eficientes, por instalação de soluções que permitam a monitorização e controlo inteligente de consumos de água ou por instalação de sistemas de aproveitamento de águas pluviais, águas cinzentas ou para reutilização;
  • Auditorias energéticas e a emissão de Certificado Energético ex-ante e ex-post, no âmbito do Sistema de Certificação de Edifícios (SCE);
  • Ações de consultoria/auditoria em eficiência energética e/ou hídrica essenciais ao planeamento e à execução das medidas.


Especificidades

NOTA: Esta informação não dispensa a consulta do respetivo Aviso para Apresentação de Candidaturas, a publicar. Esta informação tem por base o Aviso N.º 01/C13-i03/2022.


Objetivos

Financiar medidas que fomentem a eficiência energética e de outros recursos e que reforcem a produção de energia de fontes renováveis em regime de autoconsumo, contribuindo para a melhoria do desempenho energético e ambiental dos edifícios de serviços.


Beneficiários
Proprietários de edifícios de comércio e serviços do setor privado existentes (pessoas singulares ou coletivas), e que exercem atividade comercial nesse edifício, incluindo as entidades que atuam na área do turismo e as entidades da Economia Social .
Os edifícios devem estar abrangidos pelo Sistema de Certificação Energética (SCE), previsto no Decreto-Lei n.º 101-D/2020, de 7 de dezembro, com exceção das ampliações que se encontram excluídas do âmbito deste aviso.


Tipologias de Intervenção
  1. Envolvente opaca e envidraçada;
  2. Intervenção em sistemas técnicos;
  3. Produção de energia com base em fontes de energia renováveis (FER) para autoconsumo;
  4. Eficiência Hídrica;
  5. Ações Imateriais (Consultorias e Auditorias).

As candidaturas devem apresentar obrigatoriamente investimentos em pelo menos uma das Tipologias de Intervenção 1. a 3., não sendo aceites candidaturas com despesas exclusivas nas tipologias 4. e 5.. As despesas com a tipologia 5. está limitada a 10% do total do investimento.


Forma e Limites do Apoio
  • O incentivo é de natureza não reembolsável;
  • A taxa de apoio máxima é de 70% do investimento;
  • O incentivo máximo é de 300 mil € por beneficiário.


Observações:
  • Não são aceites candidaturas em Parceria;
  • Os investimentos podem abranger a intervenção num edifício ou em múltiplos edifícios, desde que contemplados no mesmo Certificado Energético;
  • Os projetos devem ser implementados num prazo máximo de 24 meses;
  • As tipologias de intervenção deverão resultar de auditorias energéticas, conduzidas no âmbito do Sistema de Certificação de Edifícios (SCE), ou hídricas, conforme aplicável, realizadas aos edifícios existentes, na fase inicial (ex-ante), antes de qualquer intervenção;
  • Apenas são aceites auditorias energéticas que suportem a emissão ou atualização de certificados energéticos posteriores a (data a indicar pelo concurso) e desde que estes:
    • possibilitem a identificação de medidas de melhoria respeitantes às Tipologias de Intervenção, com exclusão das medidas de eficiência hídrica que devem resultar de auditorias hídricas executadas por técnico competente nessa área;
    • demonstrem que a execução das Tipologias de Intervenção propostas conduzem a uma redução no consumo de energia primária face à situação inicial (anterior à intervenção), ? a 15% para os Pequenos Edifícios de Comércio e Serviços (PES) e a 30% para os Grandes Edifícios de Comércio e Serviços (GES).
  • Os instaladores e os fabricantes das soluções apoiadas devem possuir alvará, certificado, declaração ou outro documento aplicável que os habilite a proceder à intervenção em causa e estar inscritos nas plataformas existentes.

Pedir InformaçãoImprimir